Tempo estimado de leitura: 6 minutos

Não seguir esse passo a passo pode ser um risco para a saúde do seu pet!

Confira, neste artigo, tudo que você precisa saber para garantir mais segurança na viagem do seu pet.

viajar-com-pet
Imagem: Reprodução

Quando o assunto é a viagem dos nossos filhos de quatro patas, a gente sabe que tudo que um tutor quer é que seu filho chegue bem e faça uma ótima viagem.

E a gente também faz o melhor para que seu peludinho chegue em segurança.

Mas para que isso aconteça, nós entendemos que a sua participação nesse processo é tão importante quanto a nossa.

Humanizar um Pet que precisa viajar e ter a falsa impressão que ele se sente feliz como nós, humanos, é um erro que muitos tutores e transportadores cometem.

Quando nós planejamos uma viagem ou passeio, nós sabemos a finalidade dessa viagem e isso não nos causa ansiedade ou insegurança.

Já os peludinhos não conseguem ter a mesma percepção e sendo assim, pode ser que fiquem ansiosos e inseguros.

É muito importante entender essa diferença de comportamento entre humanos e animais e agir com responsabilidade.

No momento do embarque, um Pet se afasta de seu habitat, das pessoas que ama, fica limitado em uma acomodação, lida com pessoas e a presença de animais que não são do seu convívio, ouvem e sentem sons e cheiros diferentes.

Esse conjunto de mudanças de rotinas afetam o comportamento de um animal e podem, inclusive, afetar a sua saúde.

Precisamos respeitar o animal, com suas verdadeiras necessidades fisiológicas, biológicas e psicológicas, proporcionando o máximo de conforto e segurança possíveis para que ele se mantenha calmo, evitando, assim, problemas graves como fuga, agressividade, lesões causadas pelo aumento do estresse.

Por esse motivo, nem sempre viajar é a melhor opção para seu melhor amigo.

Têm animais que gostam de interagir com outros animais e pessoas e se adaptam com facilidade a mudança de rotina.

Outros sentem medo e ficam mais estressados e a viagem pode apresentar um risco para sua saúde.

Para esse grupo de animais, viaje somente se necessário e tenha atenção quando ele viajar.

Classificação de risco

Para que você possa entender melhor, nós classificamos os animais em três grupos:

🟢 VERDE: Animais que viajam tranquilos, saudáveis e sociáveis, podendo viajar nas viagens rodoviárias.

🟡 AMARELO: Animais que exigem atenção, podendo viajar nas modalidades rodoviárias ou exclusivas.

🔴 VERMELHO: Animais que exigem muita atenção em razão da saúde e/ou comportamento, podendo viajar apenas na modalidade exclusiva.

💡 Fica a primeira dica então: Avalie se a viagem de seu Pet é realmente necessária e viaje somente quando houver necessidade e conveniência. Nunca submeta seu animal a condições que possam comprometer sua saúde e seu bem estar.

Escolha a modalidade de serviço mais adequada

Uma das maiores preocupações nas viagens interestaduais é com relação ao controle da ansiedade e redução do estresse.

Analisando por esse lado, dois aspectos são muito importantes: presença do tutor e viajar sozinho, sem compartilhar a viagem com outros animais.

Se seu amigo se sente desconfortável com a presença de animais e pessoas estranhas ou fica ansioso quando confinado ou afastado de você é recomendado que ele viaje na modalidade exclusiva, principalmente nas viagens mais longas, acima de 48 horas.

A modalidade exclusiva tem tarifas maiores, porém, economizar e colocar a saúde do seu filho em risco não é uma boa opção.

Cheque as condições de saúde e o comportamento de seu Pet

Para que se tenha certeza que seu animal está apto para embarcar, verifique as condições de saúde de seu Pet com um médico veterinário.

Nunca aceite um atestado de saúde sem que sejam realizados os exames necessários e nunca apresente documentos falsos.

Animais podem ter problemas de saúde não diagnosticados cujos sintomas só se manifestam ou se agravam durante a viagem e isso pode trazer sérias complicações.

Por isso, converse com o médico veterinário e explique para ele como o transporte será realizado e tenha certeza de que seu melhor amigo está apto para viajar.

Mesmo animais sem histórico de conformidades não devem embarcar se apresentar os seguintes sintomas:

  • Vômito
  • Diarreia
  • Respiração ofegante
  • Perda de apetite
  • Agressividade com pessoas ou outros animais

Forneça todas as informações

Omitir informações nunca é uma boa ideia. Informar tudo sobre a saúde e o comportamento de seu Pet é fundamental para que possamos adotar os protocolos adequados.

Descobrir uma doença ou um comportamento agressivo durante uma viagem é um grande transtorno para todos nós.

É melhor cancelarmos ou alterarmos a data de embarque ou a modalidade de serviço contratado que embarcar um animal como problemas de saúde que possam comprometer a sua saúde e a segurança da viagem.

Prepare seu Pet para o embarque.

A viagem de seu melhor amigo começa antes mesmo do embarque.

Na primeira fase da viagem, você tem grande responsabilidade para garantir a segurança necessária.

Adaptar seu Pet ao confinamento das acomodações e acostumá-lo a ficar longe de você é fundamental para o controle da ansiedade.

Deixar de executar esse procedimento aumenta o grau de ansiedade no embarque e isso terá reflexo em toda viagem.
Essa preparação começa na semana que antecede o embarque.

Fizemos um estudo que comprova a importância da preparação dos animais por parte dos tutores.

No vídeo abaixo, explicamos o passo a passo dos procedimentos que devem ser executados.

Quais os cuidados que a MooviPet oferece?

Para reduzir o estresse nas viagens, nosso veículo tem controle de temperatura, som e iluminação.

Os animais viajam ouvindo uma playlist personalizada e a temperatura de luz varia ao longo do dia de acordo com a atividade a ser realizada.

Temos motoristas atentos e preparados para adoção de medidas de primeiros socorros.

Além disso, todas as viagens são monitoradas remotamente por médicos veterinários em nossa central de operações e em caso de necessidade o animal pode ser conduzido para atendimento presencial.

Viajar é a melhor opção?

Viajar por lazer é uma ótima opção para animais saudáveis e sociáveis, que se sintam confortáveis quando confinados sem a presença de seu tutor.

Para animais com problemas de saúde, anti sociáveis, ansiosos e medrosos é recomendável que viajem na modalidade exclusiva.

Se essa opção não for viável, talvez seja melhor considerar a possibilidade dele não ir.

Se você vai de avião, verifique se seu melhor amigo pode ir na cabine, junto com você. Animais de pequeno porte, cães guia e cães de assistência emocional podem embarcar na cabine. Essa é a melhor opção, principalmente para viagens mais longas.

Se for contratar alguém ou alguma empresa, verifique se os profissionais entendem os riscos e adotam protocolos de prevenção de acidentes e não conformidades que podem acontecer.

Isso faz toda a diferença para a segurança, conforto e bem-estar do seu pet.


Agora que você entendeu um pouco melhor sobre o significado de uma viagem para seu melhor amigo e os riscos e cuidados que envolvem essa decisão, é sempre bom avaliar qual a modalidade de serviço mais adequada para seu Pet.

Fale agora com um de nossos consultores especializados para que ele possa ajudá-lo a tomar a melhor decisão!

Deixe seu comentário