Se você já utilizou nossos serviços, acompanha nossas publicações no blog e nas redes sociais certamente você percebe o quanto os cães e gatos se sentem seguros durante a viagem com a MooviPet.

Porém, muitos tutores, ao fazerem a reserva para a viagens de seus pets, tem receio do estresse que eles podem apresentar, especialmente nas viagens mais longas.

dog-enjoado-carro

A pergunta é: será que os animais gostam de viajar ou a viagem causa estresse?

Essa é uma dúvida de muitos tutores e que, certamente, os deixam com o coração apertado na hora de fazer a reserva e embarcar seu melhor amigo.

Apesar das várias opções de shoppings e restaurantes pet friendly, onde você pode passear com seu pet, dos diversos eventos e locais em que seu pet pode socializar com outros animais, a grande maioria dos pets ficam a maior parte do tempo confinados em casa, sem poder dar uma caminhada na praia, um passeio no parque ou simplesmente ir em algum lugar diferente, mesmo nos momentos de lazer da família, principalmente em época de pandemia.

Essa rotina pode ser o motivo da causa do estresse de seu pet.

Para conseguir identificá-los é muito importante que você fique atento ao comportamento dele em casa.

Alguns deles são: muita coceira, perda de apetite, diarreia, vômitos, respiração ofegante, perda de pelo, rigidez muscular, movimentos repetitivos constantes e mudanças no comportamento.

É muito comum que cachorros que demonstram sintomas de estresse nas viagens apresentem comportamentos que nunca tiveram, e assim fica mais fácil de perceber se ele está ou não estressado.

É comum para os animais que não tem o costume de passear, viajar e socializar com outras pessoas e pets, ficarem estressados por ocasião da viagem, principalmente no momento do embarque.

Para aliviar os sintomas do estresse é essencial que o pet seja tratado com muita paciência e carinho, que durante a viagem seja estimulada a atividade mental e física, em um ambiente com controle de temperatura e ruídos e uma rotina de caminhadas durante as paradas.

Como sabemos que esse pode ser também o seu caso, resolvemos consultar médicos veterinários, especialistas em comportamento de cães e gatos, além de nossos experientes motoristas, para que possamos entender melhor o comportamento dos pets e quais medidas adotar para aliviar os sintomas, garantindo uma viagem segura e confortável.

Nesse post explicamos melhor como essas atividades podem ser feitas e como elas podem ajudar a fazer da viagem um momento de lazer.

Como posso fazer para reduzir o estresse de meu pet?

Um dos motivos de maior tensão antes e durante a viagem é o comportamento do animal dentro da caixa de transporte.

Para acostumar o pet a ficar dentro da caixa, coloque alguns brinquedos lá dentro, fazer passeios curtos e até oferecer comida como recompensa.

“Cães e gatos associam cada situação a uma consequência. É importante mostrar que o tempo dentro da caixa terá um objetivo prazeroso”, afirma Eduardo Carvalho sócio proprietário da MooviPet.

Apesar da sedação ser evitada por causar efeitos colaterais indesejados, animais mais agitados podem fazer uso de medicação natural e homeopática, sob prescrição do veterinário.

Porém, é importante fazer um teste antes, em um dia em que o dono esteja em casa e possa observar os efeitos do tranquilizante.

Já em relação à alimentação, o ideal é diminuir a quantidade de comida oferecida ao animal antes e durante a viagem, para evitar enjoos e vômito.

Em viagens curtas, o dono deve oferecer alimento até duas horas antes do embarque.

Já para distâncias maiores, em que o tempo ultrapasse oito horas, o animal deve fazer uma refeição leve pouco antes do embarque.

“Filhotes suportam bem até oito horas em jejum e adultos doze horas. Assim, é possível evitar que os pets sintam mal estar sem sofrer com fome. As viagens podem deixar alguns animais extremamente agitados, sonolentos e cansados, mas a maioria deles dormem e brincam a maior parte do tempo”, afirma Eduardo.

Faça seu pet gostar de carro

Leve seu pet ao seu veículo repetidas vezes antes da viagem e associe essas visitas com uma recompensa gostosa.

Com a repetição, aos poucos ele acostumará e não terá mais problemas.

man-woman-dog-samoieda-car

O treino precisa ser gradativo, fique a uma distância que o cão não fique apreensivo e nem inseguro, depois comece a recompensá-lo. À medida que seu cão se mostrar relaxado dentro do carro, comece a se aproximar do veículo até que você consiga ficar perto dele com seu amigo calmo e tranquilo.

Chegando ao destino final, é importante oferecer água e comida, ficar atento ao comportamento do pet, até que se adote ao novo ambiente e tudo se normalize.


A grande maioria dos pets aproveitam a viagem para socializar e não apresentam sintomas de estresse.

Todavia, se seu pet é ansioso, não tem costume de andar de carro e fica incomodado em locais fechados, é importante seguir as recomendações para garantir uma viagem mais confortável.

Ficou alguma dúvida? Entre em contato com a gente e fale diretamente com um de nossos consultores.

E não se esqueça! Animais que viajam são mais felizes!

Deixe seu comentário