Longe da família e dos amigos, eles têm como companheiros de viagens os pets.

Nessa matéria vamos falar sobre a vida do nosso time de motoristas que têm a responsabilidade de transportar os animais para as diversas cidades do Brasil, provendo amor, carinho e segurança.

Como motoristas da MooviPet conseguem conciliar saudade, atenção, responsabilidade, garantir um transporte seguro e ainda prover todo amor e cuidados que os animais necessitam? É o que você vai descobrir agora!

Motoristas do sistema rodoviário da MooviPet mesmo precisando enfrentar a distância física dos seus filhos, são presentes e atuantes.

Como diria aquele ditado: “a presença é o maior presente que qualquer um pode ganhar” e quando o assunto é família, todos sabemos que isso é mesmo uma verdade.

Seja porque o nosso trabalho nos impede de estar perto fisicamente, porque moramos em casas separadas, ou ainda por causa da pandemia, a distância física pode ser uma realidade, mas a presença não é diretamente ligada a ela.

Mãos que levam e trazem os pets

Há mais de 500 mil anos, quando o primeiro cachorro foi domesticado pelo homem não imaginávamos que ele poderiam ter uma importância tão grande na sociedade.

Os pets são hoje parte da família e precisam acompanhar as mudanças necessárias. Nesse sentido, opções de mobilidade são fundamentais.

É nesse contexto que transportadoras como a MooviPet são importantes.

Apresentando opções de viagens acessíveis e seguras, fica muito mais fácil administrar a vida dos tutores, proporcionando maior qualidade de vida e diminuindo o abandono.

Fazer isso seria impossível sem um time de motoristas dedicado, qualificado e acima de tudo apaixonado pelos animais.

Hoje, é difícil imaginar uma empresa de transporte de animais sem motorista experientes que entendam que os pets exigem cuidados maiores que passageiros.

O transporte rodoviário é o meio mais utilizado para transportes de animais que precisam viajar entre as cidades e os responsáveis por isso são os motoristas.

Quando um pet embarca em nossos veículos, os tutores devem criar uma relação imediata de confiança com a pessoa que está atrás do volante, afinal, ela é quem guardará a segurança de seu filho.

O peso da responsabilidade é, definitivamente, o que mais preocupa os motoristas da MooviPet.

De acordo com Eduardo Carvalho, sócio proprietário da MooviPet, isso se torna ainda mais intenso em virtude dos riscos das estradas.

“Precisamos garantir a segurança e o conforto dos animais até o destino e o nosso maior desafio hoje são as estradas. Somos conscientes de que fazemos o melhor, mas sabemos que nas estradas “há profissionais pouco responsáveis, por isso toda atenção e medidas de direção defensiva são fundamentais e devem ser adotadas”.

Mais do que uma profissão, um sonho

motorista-muniz-com-duas-criancas-e-um-cachorro-samoieda
Motorista Marceleno Muniz

Foi o amor pelos animais e pelo montante que fez com que Marceleno Muniz se tornasse motorista da MooviPet.

“Foi a realização de um sonho. Eu já tive uma transportadora de carga e adorava dirigir. Tenho 3 cães em casa e são parte da família, junto de minha esposa e filhos. A MooviPet me permitiu unir essas duas paixões e me trouxe a possibilidade de trabalhar em algo que eu faço com muito amor e carinho.”

A paixão de Muniz pelos pets e pelo volante veio do berço.

“Decidi ser motorista em 1995 quando tirei minha habilitação e, naquela época, todo garoto era apaixonado por carro. Comecei a dirigir com meu cunhado Raphael. Ele iniciou seu trabalho na MooviPet e me convidou para conhecer a empresa. Eu cheguei no dia seguinte ao convite. Minha primeira viagem foi do Rio de Janeiro para São Paulo. Raphael foi meu principal incentivador e alí começava a minha trajetória junto da MooviPet”, acrescenta.

O motorista da estrada e o homem no lar

A nossa profissão diz muito sobre nós, mas não tudo.

Todos esses profissionais têm as suas histórias e os seus gostos pessoais.

Hora do descanso para Muniz significa estar em família.

“Nas horas vagas gosto de ficar com a minha filha e cuidar da minha família, de preferência na roça, em meio às lavouras e aos animais. Gosto também de praticar esportes porque é bom para saúde, para o corpo e para mente”, afirma.

Muniz, que já foi militar por oito anos, gosta de ficar em casa e aproveitar todo o tempo disponível.

Por mais incrível que pareça, ele diz que outro hobby seu das horas vagas é falar sobre o trabalho.

“Fora do ambiente de trabalho ainda continuo sendo motorista. Gosto de falar da minha profissão e das minhas experiências com os pets para minha família”, conta.

Devoção pelos passageiros e pela estrada

motorista-raphael-eduardo-com-cachorro-rottweiler
Motorista Raphael Eduardo

Para muita gente, pensar em um motorista é imaginar uma pessoa atrás do volante desafiando a estrada todos os dias (é isso também, mas existe muita coisa além disso).

Ser motorista da MooviPet é receber bem os pets e seus tutores, atendê-los e conduzi-los.

Mais do que bom condutor de um veículo, ser bom motorista é ter habilidade com as pessoas.

E todo mundo se lembra de um motorista pelo atendimento, não é mesmo?!

De acordo com Muniz, a sua prioridade é sempre atender a todos com excelência.

“Adoro lidar com os tutores de vários jeitos e tipos, mas os animais são minha prioridade. Preciso entender suas angústias e suas preocupações, bem como as necessidades especificas de cada pet, independente do problema que eles possam ter”, esclarece.

Para Muniz, o que gera satisfação em nosso clientes é, certamente, o atendimento.

“Tenho certeza que os tutores sempre irão procurar dar prioridade para viagens com motoristas que lhes atenderam bem e eu acredito que cada amizade de tutores foi Deus quem mandou”.

Contudo, Muniz conclui que nada é mais gratificante na profissão do que a liberdade das estradas, a possibilidade de descobrir lugares e conhecer cada vez mais sobre pets.

“A parte mais interessante de ser motorista é esse prazer de conhecer lugares, pessoas e culturas diferentes. Eu viajo o Brasil sobre rodas, conhecendo paisagens, pessoas, lugares, junto de vários pets sempre diferentes e não existe coisa melhor do que isso”, conclui.

E aí, gostou de conhecer as histórias do Muniz?

Aposto que você já cruzou com ele por aí, transportando seu melhor amigo.

Que tal agendar sua próxima viagem?

Deixe seu comentário